A CPI da Covid

A CPI da Covid, desde sua instalação, proporcionou momentos de raiva e agonia, aos que possuem estômago forte o suficiente para acompanhar a coleta dos depoimentos e os discursos governistas.

Sem falar da participação dos governistas, principalmente, o triunvirato Marcos “Ratinho” Rogério (DEM-RO), Luiz “Papagaio” Heinze (Progressistas-RS) e Flávio “Wonka” Bolsonaro (Republicanos-RJ), os verdadeiros “tiozões do zap”, repetindo uma defesa que, com mais de 450 mil mortos, não deveria convencer nem o mais convicto bolsonarista.

Ao longo destas três semanas, observamos o bolsonarismo em sua forma crua e desinibida, escancarando, sem qualquer pudor, seu projeto genocida. 

Os depoimentos, pintam uma condução perfeita no combate à pandemia pelo governo federal, afinal quem mata é o vírus, os governadores, os prefeitos ou o STF. O mito, esse não, ele só quer andar com a sua moto e tomar cloroquina.

Não podemos ter ilusões, sobre os desfechos da CPI, mas a oportunidade deve ser aproveitada para desmascarar as mentiras contadas pelos artífices do genocídio em curso no Brasil.

Por Carlos Eduardo Azevedo, advogado no Núcleo Social.